Estudantes avaliam Novo Ensino Médio

Alunos aprovam flexibilidade do currículo e opção de curso profissionalizante

O Novo Ensino Médio vai oferecer opções diversificadas para que os estudantes terminem a educação básica com sólidos conhecimentos nas suas áreas de preferência. Essas opções de flexibilização estão estruturadas em dois caminhos: o acadêmico ou a formação técnica. A formação técnica inserida na educação básica é uma das novidades do Novo Ensino Médio, que traz esse e outros caminhos, com mais flexibilidade de escolhas. Lucas Nunes, de 17 anos, que já fez o Exame Nacional do Ensino Médio (Enem), acredita que aprofundar os conhecimentos na sua área de preferência é fundamental. Ele quer cursar Engenharia de Controle e Automação da Universidade Federal do Rio de Janeiro (URFJ).

– Acho muito boa a ideia de montar um sistema onde o aluno pode escolher o que quer estudar. Ficamos sobrecarregados, estudando coisas muito específicas que não vamos usar depois. Eu precisei me aprofundar muito em Matemática e Física e também estudava outras disciplinas que não são tão essenciais para a minha carreira – comenta ele.

O estudante também aprova a opção do curso técnico para quem quer se capacitar e entrar para o mercado de trabalho o quanto antes.

– Em um país desigual como o nosso, muitos jovens abandonam a escola para começar a trabalhar. A capacitação profissional ajuda o aluno a escolher uma especialização e assim conseguir entrar para o mercado de trabalho antes de mesmo dele fazer o ensino superior – afirma.

Raphael Alexandre, de 16 anos, está no 2º ano do Ensino Médio e quer seguir na área de engenharia. Para ele, o Novo Ensino Médio pode ajudar a motivar os jovens nos estudos.

– Muitos estudantes vão muito bem em Humanas e nem tanto em Exatas. As notas baixas acabam deixando o aluno desanimado, acreditando que não tem potencial. Se ela foca naquilo que tem habilidade, vai desenvolver esse potencial e ficar mais confiante – avalia ele.

O viés acadêmico prepara o aluno para desenvolver suas habilidades e ingressar na faculdade. Além de cursar as disciplinas obrigatórias para os três anos – Português, Matemática e Inglês –, ele deverá cursar outras disciplinas ou projetos, que abarcam os conhecimentos essenciais expressos na BNCC e, também, deverá escolher as áreas de conhecimento em que deseja aprofundar seus estudos. Serão oferecidas quatro áreas: Linguagens e suas Tecnologias; Matemática e suas Tecnologias; Ciências da Natureza e suas Tecnologias, e Ciências Humanas e Sociais Aplicadas. E também haverá a possibilidade de fazer uma integração entre as áreas.

A modalidade de formação técnica oferece ao aluno a capacitação profissional. O estudante terá, além das obrigatórias, aulas voltadas para uma determinada profissão, dentro da carga horária do Ensino Médio. O jovem que seguir nessa proposta receberá o certificado que também permite a entrada na faculdade.