Aprofundamento do conhecimento vai enriquecer a bagagem dos alunos, apontam especialistas

Coordenadores pedagógicos do Ensino Médio aprovam divisão de disciplinas por áreas de interesse

Assim que concluírem o Ensino Fundamental, estudantes das redes pública e privada terão à sua frente uma série de possibilidades. Neste novo cenário, o aluno fazer escolha entre quatro áreas do conhecimento para cursar no Ensino Médio, aprofundando os conhecimentos naquela de maior interesse. Alem da possibilidade de fazer um misto de conhecimentos das quatro áreas chamado de itinerário integrado ou até mesmo a formação técnica e profissional.

Os conhecimentos estarão organizados em: Linguagens e suas Tecnologias; Matemática e suas Tecnologias; Ciências da Natureza e suas Tecnologias; Ciências Humanas e Sociais aplicadas.

Marcus Vinicius Mendonça, coordenador de Ensino Médio do CEL International School, afirma que o aprofundamento em itinerários é interessante para inserir o aluno no eixo voltado ao que ele já estará pensando para seu futuro.

– O aluno que quiser fazer Medicina passará três anos se aprofundando em conhecimentos da área de Ciência da Natureza e suas Tecnologias. Isso é um preparo para a vida profissional dele, não só para o vestibular. Ele vai levar esse conhecimento de base para enfrentar a faculdade – comenta.

Mendonça diz que não vê nenhum prejuízo com o Novo Ensino Médio. Ele garante que o aluno que construiu sólidos conhecimentos durante Ensino Fundamental levará para sempre essa bagagem com ele.

Fernando da Espiritu Santo, coordenador do Sistema de Ensino Poliedro, aposta na especialização e aprofundamento nas áreas para a aproximação da teoria com a prática. De acordo com ele, no atual Ensino Médio, os alunos não veem aplicação dos estudos no dia a dia.

– A ideia de organizar por área faz com que as disciplinas de cada área conversem umas com as outras, criando maiores chances nas aplicações mais corriqueiras do conteúdo, de modo semelhante ao que é cobrado no Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) hoje.

O Novo Ensino Médio entrará em vigor assim que a Base Nacional Comum Curricular (BNCC) para o Ensino Médio for aprovada. A BNCC vai definir quais competências e habilidades devem ser garantidas obrigatoriamente para os estudantes no ensino médio. Para Fernando, o documento enriquecerá a educação brasileira a médio prazo.

– Agora, as escolas seguirão um conteúdo básico determinado por uma norma. Aquela que não cumprir, estará infringindo uma lei. Dessa forma, as avaliações feitas pelo governo vão indicar se as instituições estão seguindo a BNCC ou não. A ideia é que, daqui a alguns anos, a família possa ter mais informações sobre as escolas onde seus filhos vão estudar, antes de fazer a escolha por uma específica. A própria sociedade poderá cobrar das escolas o cumprimento das determinações pedagógicas – explica.