Abstenção no Enem gera prejuízo de R$ 962 milhões

Ministério da Educação destaca que a promoção da inscrição consciente deverá diminuir desperdício de verba pública

Nos últimos cinco anos, a média de abstenção no Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) foi de 29%, gerando um prejuízo de R$ 962 milhões.

Na edição de 2018, o Enem recebeu 6.774.891 inscrições esse ano. As provas serão realizadas nos dias 4 e 11 de novembro. Do total de inscritos, 5.513.662 (81,3%) estão confirmados para o exame, número que, segundo o Ministério da Educação, demonstra o sucesso das mudanças adotadas pela pasta e pelo Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep). As duas instituições realizaram mudanças com o objetivo de promover a inscrição consciente e evitar o desperdício da verba pública.

“Não podemos ter pessoas se inscrevendo para não participar das provas, muitas vezes sem justificativa”, afirmou o ministro da Educação, Rossieli Soares.

  Neste ano, pela primeira vez, a solicitação de isenção da taxa do Enem foi anterior à inscrição. Os participantes que estavam isentos e faltaram tiveram que justificar a ausência para obter novamente a gratuidade.

Segundo o ministro, esse foi um passo importante para melhorar a eficiência de uso dos recursos públicos. “Há prejuízo para o erário público mesmo quando o inscrito pagante não comparece às provas. A taxa de inscrição é de R$ 82, mas o custo do exame é de R$ 90”, afirmou.

Dos 2.017.253 ausentes no Enem 2017, 1.692.074 (83,8%) estavam isentos. Dos 222.132 ausentes reincidentes, 206.100 (92,7%) não tinham pago para fazer o exame. Apenas 4.345 conseguiram justificar a ausência.

Em 2018, entre o período de solicitação de isenção da taxa e o de inscrições houve tempo para os recursos. Assim, os participantes com pedidos de isenção e justificativas de ausência negados tiveram uma segunda chance de apresentar documentos.

Os não pagantes continuam sendo maioria. Na edição atual do Enem, 3.521.181 candidatos (63,8% do total de inscritos) foram beneficiados com a isenção da taxa.

Perfil dos participantes  59,1% são do sexo feminino 40,9% são do sexo masculino 17% têm 18 anos 15,9% têm 19 anos 10,5% têm 20 anos 33,8% têm entre 21 e 30 58,6% já concluíram o ensino médio 29,7% concluirão o ensino médio em 2018 10,6% concluirão o ensino médio após 2018 37% são do Sudeste 33% são do Nordeste 11% são do Norte 11% são do Sul 8% são do Centro-Oeste

Perfil dos isentos  39,7% cursara todo o ensino médio na rede pública ou como bolsista integral na rede privada e tem renda familiar, por pessoa, igual ou menor que um salário mínimo e meio 19,2% são concluintes do ensino médio em escola da rede pública 4,7% têm renda familiar por pessoa de até meio salário mínimo ou renda familiar mensal de até três salários mínimos 0,13% atingiram a nota mínima para certificação no ensino médio por meio do Encceja 2017 Atendimentos especializados Deficiência auditiva (11.252 inscritos) Deficiência intelectual (7.687 inscritos) Baixa visão (6.415 inscritos) Lactantes (2.360 inscritos) Outras condições específicas (7.273)